Tootsie





Filme norte-americano de 1982, do gênero comédia, dirigido por Sydney Pollack. Recebeu 10 indicações ao Oscar e em 2000 foi considerado pelo American Film Institute como o 2° filme mais engraçado da história. Desesperado em busca de emprego, Michael Dorsey, um ator perfeccionista e de temperamento difícil resolve se vestir de mulher para disputar um papel feminino em uma telenovela. O que ele não esperava era obter tanto sucesso com o seu papel. Porém, manter a farsa fica cada dia mais complicado, especialmente porque ele se apaixona por Julie Nichols, uma das atrizes da telenovela, e caso ele se declare, acabará revelando que é um homem.



 Dustin Hoffman se emocionou durante um depoimento para o American Film Institute (AFI) no qual lembra seu papel em "Tootsie" (1982). Em seu comentário, Hoffman reconhece que, até então, valorizava apenas mulheres que fossem bonitas. Ao se dar conta do próprio preconceito, decidiu enfrentá-lo e "brigou" pelo personagem. Hoffman recorda que jamais viu "Tootsie" como uma comédia. Também afirma que impôs uma condição para aceitar o trabalho: teria de realmente se passar por mulher. Para isso, solicitou testes de maquiagem antes de início das gravações.



Ainda pensando sobre essa maneira de nos travestirmos de outras personas, muitas vezes, vivenciamos muitas "máscaras" e Jung (1875-1961) define esse termo na importante obra: Tipos Psicológicos, 1921. Ele adaptou esse termo da psicanálise e tomou da psicologia em geral. Seja como for, o termo “persona” é propriedade intelectual de Carl Gustav Jung. Ou seja, significa pessoa tal como apresentada, não é pessoa como real. 


"Jung estava interessado em entender como as pessoas desempenham determinados papéis, adotando atitudes convencionais, coletivas e representando estereótipos culturais, ao invés de viverem sua própria unicidade. Parece algo muito familiar não? Pois de fato é um traço humano bem conhecido, uma espécie de imitação."




O ser humano normal é uma versão menos exagerada do que se verifica na patologia de “traços de divisão de caráter” ou pluralidade de personalidade (comum na vida cotidiana), como por exemplo, quando falamos que um indivíduo “é um anjo na rua e um carrasco em casa”.
No filme vemos claramente que o papel é desenrolado com maestria e por algumas vezes, o personagem quase se sente 24h em outra "persona". Em um trecho traduzido do vídeo acima, notamos que essa transformação de Dustin em mulher(mesmo que para ele, essa mulher não seja "atraente") mexeu profundamente e isso acaba criando um paralelo de comparações. Se não fôssemos quem somos e não precisássemos de tantas máscaras, como seríamos?  
" Por exemplo, “Quão diferente você seria se tivesse nascido uma mulher?”. Disse isso em uma conversa que tivemos. Ele não perguntou “como se sente uma mulher” porque todas as pessoas já se perguntaram “como será que eu me sentiria sendo do sexo oposto?”. Mas a pergunta dele era diferente: “Se você tivesse nascido como mulher, quão diferente VOCÊ seria?”. 
Outro aspecto que chama atenção no filme, é delicadeza da trilha sonora.  

Um filme reflexivo que nos mostra que para manter ou conseguir um emprego, foi necessário que o personagem se "realizasse" em outra pessoa.




0 comentários:

Postar um comentário

"O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho." (Orson Welles)

 

Google+ Followers

Follow by Email