Estômago



ESTÔMAGO - o filme
Filme brasileiro de 2007, Raimundo Nonato (João Miguel) é um migrante nordestino que chega à cidade em busca de oportunidade. Aprende a profissão de cozinheiro, na qual se desenvolve e recebe uma melhor oportunidade de trabalho. Sua vida se complica ao se envolver com a prostituta Iria (Fabiula Nascimento). O filme se passa entre o tempo atual na cadeia e a vida de Nonato no restaurante. "É a história da ascensão e queda de Raimundo Nonato, um cozinheiro com dotes muito especiais. Trata de dois temas universais: a comida e o poder. Mais especificamente, a comida como meio de adquirir poder. E pode ser definido como - uma fábula nada infantil sobre poder, sexo e culinária”

Inspirado no conto “Presos pelo Estômago”, de Lusa Silvestre - filme recebeu quatro premiações, Melhor Filme pelo Público, Melhor Diretor, Melhor Ator e Prêmio Especial do Júri. Em sua estreia européia, no Festival Internacional de Rotterdam, na Holanda, recebeu o prêmio Lions Award e foi o segundo colocado, entre 200 longas, na preferência do público. Teve participação especial no Festival de Berlim 2008, com direito a jantar inspirado nos pratos do filme, e venceu o Festival Internacional de Punta Del Este, no Uruguai, com os prêmios de Melhor Filme e Menção Especial de Melhor Ator. 
Grande parte da história se passa dentro de uma cela de cadeia, Luiz Mendes Jr. - que entrou na prisão aos 19 anos, semianalfabeto, e saiu 30 anos depois, como escritor e cronista - atuou como consultor de vida e comportamento no presídio. 

Em Estômago, o narrador é personagem central e autor dos dois crimes, Raimundo Nonato. O protagonista é interpretado por João Miguel, atuou em O Céu de Suely (Karim Ainouz) Cinema, Aspirinas e Urubús (Marcelo Gomes). Nonato é um homem na casa dos 30, nordestino, sem qualificação, do meio rural, que desembarca em São Paulo e sem  dinheiro para alimentação ou moradia, aceita trabalhar em um boteco em troca de comida e um quarto. O quarto fica nos fundos do bar e o patrão mora em cima. Nonato revela um talento na cozinha e passa de braçal a cozinheiro disputado. Todo tempo, notamos temática central do filme, mundo cão da "cidade grande", onde pobreza econômica é sinônimo de pobreza moral. Se você não tem nada, você não vale nada. Ou pior, se você é socialmente bem requisitado, todos te beijam pela frente, querem fazer "escada" e depois vomitam por trás. Essa sequência de hostilidades podem resultar em revolta e uma grande transformação psicológica e moral, o que acabou construindo um novo Nonato, livre de inocências e ávido por viver sem exclusão. O filme apresenta um cozinheiro apaixonado por seus ingredientes, sarcasticamente enlouquecido por sua confidente prostituta, um ser humano que se vê envolvido em um plano de vingança irônico, instigante e reflexivo. Nonato,  justamente por não aguentar o rebaixamento social em que foi inserido, acaba finalizando seus dias em um cardápio nada digestivo. Onde a velha máxima, "olho por olho..." conferiu o xeque mate perfeito para o "delicioso" desfecho!


Afinal, o que há por trás da vingança? Muitas vezes, quando passamos por situações muito difíceis e não conseguimos assimilá-las de maneira positiva, guardamos memórias negativas do ponto de vista físico e energético. Basicamente dois sentimentos podem gerar estímulos para vingança, injustiça e superioridade.
 "A vingança pelo sentimento de injustiça surge nas pessoas “normais” que reagem quando sofrem ações inesperadas e cruéis. Estas pessoas precisam sentir em ação, ou melhor, em oposição a alguém que foi percebido como cruel, e em casos de não conseguirem elaborar algo mais nobre partem para a vingança.Já a vingança que parte da pessoa que se sente superior aos demais é algo que esbarra na sociopatia. É a pessoa que pode ou não ter sido realmente injustiçada mas se ela acreditar que o outro não tem o direito de ter feito aquilo -seja lá o que o outro fez- ele tomará atitudes agressivas em represália." Dra. Marisa Abreu.

Vingança tem sempre a finalidade de responsabilizar o outro pelo nosso sofrimento – o que pode ser verdadeiro ou não.  E também a finalidade de ressarcimento, mesmo que seja ressarcimento emocional e não material e neste sentido, ações legais que solicitam valores exorbitantes tem algum fundamento, o dinheiro não deverá cobrir apenas os danos materiais, mas os danos “morais". Porém, vingança tem seu lado sadio, é a necessidade de movimento, de ação quando alguém se percebe ameaçado , isto é o nosso lado mais primitivo, o instinto de sobrevivência. Este lado instintivo dá o alerta e nos mobiliza à reação. O lado ruim da vingança é o sentimento de prazer, o que muitos acabam praticando por aí, negam que o praticam e ainda pensam que não são notados.
O filme é atraente, visceral e ao mesmo tempo apetitoso em todos os sentidos...
Afinal, “O homem é o único animal que cozinha” Marcos Jorge.




0 comentários:

Postar um comentário

"O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho." (Orson Welles)

 

Google+ Followers

Follow by Email