Good Bye , Lenin!


Good Bye, Lenin! (Adeus, Lênin!) brilhante ficção ideológica.Um filme alemão de 2003 dirigido por Wolfgang Becker.Inspirado em um período importante da história cultural da Europa - a queda do Muro de Berlim e a reunificação das duas Alemanhas - Wolfgang Becker usa como pano de fundo personagens reais como Erich Honecker, que governou a RDA (ou Alemanha Oriental) de 1971 a 1989; Mikhail Gorbatchov, o derradero líder (1985-1991) da URSS; Helmut Kohl, primeiro chanceler da Alemanha reunificada, e Sigmund Jähn que em 1978 tornou-se o "primeiro alemão no espaço": foi um dos tripulantes da espaçonave soviética Sojus 31. Vamos ao filme? O filho, para proteger a mãe que passou oito meses em coma em decorrência de um enfarte e que era grande entusiasta do “socialismo” ali existente, decide não revelar a ela a queda do muro e a restauração capitalista. Para isso, reconstrói no apartamento da família o cenário da Alemanha Oriental antes da queda do Muro, numa farsa que, à medida que a saúde da mãe progride, se torna cada vez mais insustentável.

Há quem diga que o filme é anticomunista, como há também quem diga exatamente o contrário. Isso ocorre, em parte, porque o filme, ao mesmo tempo em que coloca uma visão extremamente crítica do assim chamado “socialismo real” , ou seja, do Estado operário deformado; a partir da queda do Muro mostra também o capitalismo em sua face mais degradada e decadente.

Na Alemanha Oriental, com poucos empregos(em 89) e  taxa de desemprego beirando média dos 9%. O pessimismo profundo, em segundo plano narrativo, rege o filme. No filme temos a Coca-Cola como uma “invenção socialista” apropriada pelo capitalismo; os milhares de carros ocidentais passam a pertencer a refugiados de países capitalistas que escolhem viver na Alemanha Oriental e a própria queda do muro ganha sua versão mais pop.Deixando um pouco de lado o aspecto político do filme, quero entrar um pouquinho no psicológico.

O diretor brilhantemente traçou um paralelo entre o 'socialismo/ capitalismo e o múltiplo sofrimento, de uma mãe, que sofreu abandono pelo marido, fracassou em seu ativismo por causas socialistas e anda temia ver o filho na mesma situação. Por fim, todo esse sofrer resultou em infarto. Após, ver sua mãe em coma o filho entra em uma espiral digna do 'coelho da Alice',onde ele poderia mostrar todo aquele mundo novo, onde tudo aquilo que ela acreditava fazia parte do passado. Contar para ela o que havia acontecido, seria rever suas crenças devastadas novamente, ou pior culminar em sua morte. Ele acreditava que ela não aguentaria ver os reflexos que a queda do Muro havia causado, seja nas crenças, questões políticas, econômicas e sociais.A degradação dos costumes a partir da rápida transformação ocorrida com a reunificação alemã festejada por muitos, para aquela mulher tão devota dos ideais de Lênin, seguidora fervorosa do socialismo e defensora da ditadura do proletariado poderia ser fatal.

Imagine, o turbilhão de sentimentos na cabeça deste filho? Tendo que lidar com essa 'nova política' e ao mesmo tempo sua mãe outrora ativa agora em 'coma'. O filho com medo da reação da mãe, decide manter um mundo 'paralelo' funcionando dentro de casa. O estado psicológico interessante do filme é justamente este: o filho não aparenta nenhuma desordem psíquica e ao mesmo tempo consegue recriar/manter uma época que não mais existe. Com o objetivo de minimizar o sofrimento da mãe.   Em Adeus, Lênin! essa atitude de Alex de evitar uma tragédia, privou a mãe de ser surpreendida com as reviravoltas trazidas pela história, o que ocorreu com todos aqueles que comungavam com a ideologia comunista. Freud crítica toda essa ideologia da Alemanha comunista, onde o povo não tem direito a escolhas e está sob a tutela do governo. Ele critica porque acha que toda uma população não deveria ficar submissa ao governo, como acontecia com a mãe de Alex que mesmo escrevendo cartas com reclamações e não sendo respondida continuava obediente ao governo. Socialismo, Capitalismo, Comunismo entre outros"Ismos", que insistem em corromper e controlar uma nação! Apesar disso, um filme sobre o amor de um filho por sua mãe.




5 comentários:

  1. Eu ainda não assisti, Pati! Achei a resenha super completa... gostei da questão histórica como plano de fundo e fiquei interessada!

    Estou torcendo para lhe conhecer em dezembro, heim! :)

    bjks :) JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este filme me emociona e muito,rs.
      Vale a pena ter na estante :)

      beijinhos
      e Dezembro promete :D

      Excluir
  2. Aqui na madrugada, sem sono...surpresa ler um texto tão bom sobre um filme que tenho predileção. Wolfgang Becker fez o melhor e mais criativo filme deste país deste século e não é exagero. História emocionante que sabe cativar e prender a atenção. Daniel esta lindo neste papel.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Eu achei o filme incrivel! Alem de ser coerente com a historia, consegue abordar um assunto complicado que e capitalismo vs. socialismo de forma leve, embora não desprovida de seriedade. Alem dos personagens, que são muito cativantes. O zelo de Alex pela mãe e muito comovente! Ler essa critica me fez querer rever o filme

    ResponderExcluir
  4. Baixar o Filme - Adeus, Lênin! - [Good Bye, Lenin!] - http://mcaf.ee/banqh

    ResponderExcluir

"O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho." (Orson Welles)

 

Google+ Followers

Follow by Email