Amelie Poulain

"São tempos difíceis para os sonhadores".
O que faz um filme ser encantador?
Roteiro criativo, fotografia excepcional, trilha sonora impecável?
Com atuações singelas,  roteiro minimalista e direção de arte esplendorosa de Jean Pierre Junet:Nasce o  Fabuloso Destino de Amelie Poulain. Quando saiu nos cinemas não consegui assistir. Mas, consegui comprar o DVD(naquelas promoções em banca jornal-Folha SP)  lembram? Enfim, foi paixão à primeira vista.O filme conta a história de Amélie Poulain, uma menina simples que nunca teve boa relação com os pais, não manteve contato com outras crianças na sua infância, tornou-se solitária e com dificuldade em estabelecer relacionamentos com outras pessoas. Após encontrar uma caixa com brinquedos antigos em seu apartamento, resolve procurar o dono para devolver. Ao encontrar o dono dos brinquedos, Amélie decide ajudar todos ao seu redor e acaba ajudando também a si mesma. É um filme francês(2001) dirigido por Jean-Pierre Jeunet, o diretor tem o dom de misturar o fantástico à realidade em diversas proporções, seja na criação de universos ou um simples passeio pelo cotidiano.Amelie apaixona-se por Nico(seu oposto) e utiliza um 'jogo' quase um quebra cabeças da vida real; com o objetivo dos dois se conhecerem.
O clima de fantasia presente o tempo todo no filme por meio das cores usadas, de maneira inteligente, foi o toque de gênio.Utilização do verde e o vermelho ampliando nossa atenção. Tais cores presentes também nas roupas das personagens, cenários, na capa do DVD, no poster; criando a singularidade da película. Outro ponto de destaque são as animações que 'meia volta', retornam brilhantemente ao filme completando nossa 'viagem' pela sétima arte.


Sensibilidade ao extremo dos detalhes, lirismo, expressões francesas,sensibilidade de Amelie referente ao mundo, sua personalidade 'escapista' negando sua dura infância e realidade conturbada concluem o filme com charme.Em tempos modernos onde tudo é expresso, nossas fobias sociais se traduzem em 180 caracteres, timelines e whatsApp, fica fácil apaixonar-se por Amelie. Ela nos ensina que ficar horas olhando uma simples pedrinha no riacho, ou sentir a fruta no mercado,  pode ser enriquecedor. De certa forma, ainda me identifico com a personagem(óbvio, que já fui 80% Amelie) mas, o mundo acaba ensinando e criando uma profunda transformação interior, onde deixamos de lado a emoção. Não sei, se um dia voltarei a 'enxergar' como Amelie, ou se deixarei o criativo fluir. Única certeza do momento é que minhas aspas seguem por aí e ao acaso encontre uma Poulain no meio do caminho, talvez não deixarei passar em branco. Por enquanto, complexidade do cotidiano singular presente neste filme é o viver. Mesmo que esse 'viver', seja o mundo utópico, de Amelie Poulain.




7 comentários:

  1. Muito bom, Patricia. "Amelie" é um daqueles que assisto várias vezes, e sempre fico com um sorriso bobo na cara por horas e horas depois. É mágico. Eu realmente acredito que existem sim alguns filmes perfeitos, sem defeitos, e "Amelie" é um deles.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olla Cinéfilo,
      tudo bem?
      Sou fã de filmes no estilo The Shining(rs) Porém, amelie, a vida é bela, chocolate, uma lição de amor, meia noite em Paris são maravilhosos.
      beijão e volte sempre!

      Excluir
  2. Amélie é um deleite aos sensíveis e com alma de poeta....
    Somos destas, não é verdade Pat?!


    :D


    Ahh... Estou reativando o meu blog...
    Agora só com cinema=> Nascida em Versos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso mesmo Karla!
      Já fiz um passeio pelo blog e amei!
      bjs

      Excluir
  3. Esse filme é simplesmente um de meus preferidos!!!!

    ResponderExcluir
  4. Patricia minha querida, não considero "O Fabuloso Destino de Amélie Poulain" o melhor, ou mais importante filme de todos os tempos, mas ele continua sendo o meu favorito, ele foi o filme que me apresentou para um mundo diferente que havia além do cinema comercial norte-americano e por isso eu continuo tendo um carinho todo especial por ele. E não é atoa que uma imagem dele esteja no banner que ilustra a minha página. É um filme belo, sensível e de uma delicadeza tocante... eu me emociono só de lembrar de algumas cenas. Confesso que ainda não tive coragem de escrever sobre ele...

    ResponderExcluir
  5. Ainda não assisti esse filme, mas quero muito.
    Assistir o trailer deu mais vontade ainda.
    Beijos <3

    ResponderExcluir

"O cinema não tem fronteiras nem limites. É um fluxo constante de sonho." (Orson Welles)

 

Google+ Followers

Follow by Email